Por Vanessa Batista, dermatologista

Câncer de pele é o crescimento anormal e descontrolado de células cutâneas. Portanto, qualquer célula que compõe a pele pode originar um câncer de pele.

Existem vários tipos de cânceres de pele, mas três são os mais frequentes: CBC; CEC e Melanoma Cutâneo

Carcinoma basocelular (CBC): mais prevalente dentre todos, porém menos agressivo. Acontece em média na frequência de sete de cada dez casos comprovados de tumor de pele.

Carcinoma espinocelular (CEC): segundo mais prevalente, é mais agressivo e de crescimento rápido em relação ao CBC. Dois de cada dez casos comprovados de tumor de pele é CEC.

Melanoma cutâneo: Menos de um por cento dos casos relatados é melanoma. Este é o mais perigoso dos tumores de pele, podendo invadir qualquer outro órgão e disseminar – se pelo corpo levando à óbito. As chances de cura são de mais de noventa por cento (90%) quando há detecção precoce da doença.

Os fatores de risco para o seu desenvolvimento são:

— Exposição excessiva e sem proteção ao sol
— idade (geralmente pessoas acima dos 40 anos)
— sexo (incide mais em homens do que em mulheres)
— pessoas com pele, cabelo e olhos claros
— pessoas que tem muitas pintas pelo corpo
— hereditariedade
— história pessoal de câncer de pele anterior
— baixa imunidade e uso de medicamentos imunossupressores

Identificação: É importante consultar um dermatologista toda vez que notar uma lesão incomum na pele ou notar que uma mancha ou pinta antiga estiver sofrendo modificação.

No vídeo, a médica fala sobre o câncer de pele

Uma regra didática para ajudar a reconhecer possíveis cânceres de pele é a chamada ABCD.

A – Assimetria linha divisória no meio da pinta para verificar se há diferenças entre os dois lados.
B – Bordas irregulares e não uniformes.
C – Cor várias cores numa mesma pinta ou mancha.
D – Diâmetro se houver crescimento progressivamente.

O diagnóstico é feito através da história clínica, do exame clínico e através de exames complementares (microscopia condição e biópsia).

O tratamento de escolha mais indicado é a retirada cirúrgica do tumor. Porém, conforme o tipo, o médico pode indicar outras formas de tratamento. Somente um médico especializado pode diagnosticar e prescrever a opção de tratamento mais indicada.

Prevenção – Roupas adequadas, chapéus, bonés, óculos de sol e filtro solar.

É fundamental observar a própria pele constantemente e procurar o dermatologista caso detecte qualquer lesão suspeita.

Artigos | 0 Comments